De uma longa caminhada


Tudo se interrompeu a 25 de Junho de 2013. Mais de um ano volvido foi preciso retomar caminho vindo dos atalhos por onde a alma se perde.
Regressei.
A ideia primordial não é a de ensinar, sim a de aprender.
Reuni o que julgo ser a totalidade da obra que escreveu. Mas estou disso incerto, ante a sua constante produção.
E que caminho? Primeiro, aproximar-me do seu local, a sua cidade, depois ter a luta pela sobrevivência aberto espaço para que esteja hoje a dois passos do foco irradiante da cultura que ecoou na sua sensibilidade. Depois o ter encontrado o fio de Ariana que guia os passos de quem retorna: ontem a oferta de um livro de homenagem a Fernando Fernandes, mestre de livreiros, lido noctivagamente, hoje uma descida ao espaço que foi a sua livraria, na Rua de Ceuta e ali a possibilidade de reconstituir a Nova Águia revista de que fui juntando, disperso, números avulso. Enfim, entre eles, num dedicado a Leonardo Coimbra, homenagens devidas e sentidas a Dalila Pereira da Costa. Fechou-se o ciclo que permite o recomeço. 

+
Fonte da fotografia: aqui